quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

O presente de grego do SINTSEP E DO SINPROESSEMA para os servidores

O ano de 2012 ficou marcado pelo " presente de grego" que os sindicatos de servidores públicos do estado do Maranhão e o Sinproessema, sindicato de professores e servidores da educação do estado do Maranhão deram aos seus representados.

O primeiro, o SINTSEP, que tem como presidente, Cleinaldo Lopes, irmão do vice presidente do SINDSPEM-MA, Cezar castro Lopes, simplesmente resolveu "presentear " o servidor em dezembro, descontando de uma só vez 3 anos de imposto sindical, indevidamente ,já que os anos descontados,2011, 2012. 2013, já haviam sido descontados, por quem de direito.


Assim quem deveria representar os direitos dos servidores, lhes arranca dinheiro, sem usar de grave ameaça ou violência física.



É verdade que houve a conivência do Estado que descontou do contracheque do servidor aquilo que sabia que não deveria ser descontado. Mas a esperteza tem uma lógica simples, são aproximadamente 90.000 servidores , destes, poucos vão reclamar o seu dinheiro de volta, quem for provavelmente será ressarcido, quem não for , fica assim mesmo. Assim o SINTSEP, encontrou um jeito simples e eficiente de arrecadar MILHÕES.



O estado e o sindicato devem responder ações e pagar indenizações aos lesados, mas o desconto já foi feito. O outro sindicato que "presenteou" o servidor foi o SINPROESSEMA, que desistiu de 2 ações em fase de execução, contra o estado do Maranhão, as ações somavam aproximadamente 400.000.000,00 mas trataram de garantir os 5% de honorários, cerca de 20.000.000.00, os honorários devem ser pagos exclusivamente ao advogado, Luis Henrique Falcão, o acordo já foi publicado neste blog.


O referido advogado, é ex servidor da caixa econômica Federal, é compadre e Júlio Guterres diretor do sindicato e assessor do prefeito Holanda Junior e foi convidado a "representar" os interresses dos professores e servidores, via SINPROESSEMA, neste blog publicamos contrato entre o escritório de Luis Henrique e SINPROESEMA, onde fica pactuado que 30% dos honorários recebidos pelo escritório de advocacia resultante de demandas de servidores da educação seria repassado ao SINPROESSEMA, o que é vedado pelo Estatuto da OAB.

A lógica dessa desistência da ação coletiva é a mesma do primeiro caso tratado nos parágrafos acima, de cerca de 30.000 servidores da educação, quantos procurarão individualmente executar as ações?. Muito poucos, tlvez 1.000?



De formas que o ano de 2013 foi marcado pela postura dolosa dos dois grandes Sindicatos do estado contra os servidores públicos. Será que essa postura tem alguma relação com o ano eleitoral ?











3 comentários:

  1. Se possivel coloque no seu blog
    Seguir por E-mail
    Para visualizar melhor suas postagens!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aldemir ja coloquei , obg por nos acompanhar

      Excluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir